_Insights

Podcasts em 2021: publicidade, conteúdo e inteligência de dados tendem a avançar

Imagem: Daniela Mota/Unsplash

O movimento das big techs em torno do áudio digital não deixa dúvidas: o streaming de voz será um grande negócio em 2021. E os podcasts puxam essa tendência, atraindo cada vez mais investimentos em produção de conteúdo e anúncios, enquanto Spotify, Apple, Amazon e Google aprimoram suas plataformas para captar dados e mensurar resultados do áudio digital de forma mais precisa, numa verdadeira corrida para extrair ouro dessa mina ainda pouco explorada.

Veja 3 tendências do mercado de podcasts para 2021:

1. Avanço da publicidade

Segundo previsão do eMarketer para 2021, pela primeira vez o investimento em publicidade em podcast deve ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão no mercado norte-americano. A projeção é que um em cada cinco dólares dos anúncios de rádio digital serão destinados ao o formato. Na pesquisa realizada com profissionais de marketing, 38% responderam que planejam aumentar os gastos com podcast em 2021.


É um movimento que já vem sendo observado também no Brasil, com marcas produzindo seus próprios conteúdos, patrocinando novas temporadas de programas consolidados, ou mesmo entrando na cocriação de programas junto com publishers. É o caso do podcast “Saúde é Básica”, com o jornalista Fernando Rocha, uma cocriação entre UOL Content_Lab e Unimed, com distribuição pelo vertical VivaBem e principais plataformas de podcasts.

2. Conteúdo plural e ascensão da ficção

À medida que os investimentos em conteúdo chegam, com grandes publishers apostando no formato, os podcasts tendem a profissionalizar a produção e ampliar o cardápio de estilos. A pluralidade de temas e vozes avança junto. Somente no UOL, por exemplo, estrearam nos últimos meses os podcasts Ser Sonoro (sobre a relação entre seres humanos e a música, CaosCast (comportamento e tendências) e Papo Preto (questões da negritude), Conversa de Portão (mulheres falam de gênero, raça, classe e território). Eles se somam a programas já consolidados como Mídia e Marketing e UOL Líderes, entre outros.

Outro campo que deve ascender em 2021 é o da ficção, segundo Steve Raizes, vice-presidente sênior de podcasts da ViacomCBS. “É um momento fascinante para o podcasting. Acho que a ficção é uma área muito interessante, onde as pessoas verão muito crescimento este ano. Além disso, vejo diversas vozes evoluindo conforme o envolvimento do público aumenta em todos os gêneros”, disse em entrevista, apontando que a companhia vem investindo no formato narrativo.

3. Dados e experiência do ouvinte (LX)

O investimento das big techs para capturar e analisar dados do áudio digital deve, além de atender a uma necessidade do mercado de mensurar resultados, ajudar na criação de conteúdo, de forma orientada pela experiência do ouvinte (listener experience, ou LX). Na indústria de podcast, o marketing orientado por dados deve começar a trilhar seu caminho do ouro em 2021, com produtores de podcast aproveitando insights de dados para compreender melhor seus ouvintes.

Essa tendência deve impactar na qualidade do conteúdo à medida que os criadores compreendem, por exemplo, o que leva as pessoas a escutarem um programa até o fim e como esses usuários se engajam com outros conteúdos digitais e marcas.


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Pedro Crastechini
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo