_Brainstorm

eSports: como evoluiu a relação dos atletas com a marca no time Vivo Keyd

Imagem: Divulgação

Equipe do Vivo Keyd se prepara para a Superliga ABCDE 2018 de League of Legends

Se, para as marcas, o patrocínio de equipes é a grande porta de entrada no mundo dos eSports, para os times, é um modo de crescer em relevância e galgar novos patamares competitivos. No Vivo Keyd, essa relação evoluiu de patrocínio a parceria, ampliando o campo de ação para ambos.

O time fundado por Eduardo Kim e André Pontes, que nasceu como Keyd Team e despontou como Keyd Stars, passou por uma virada importante quando a Vivo entrou para o jogo e mudou de nome para Vivo Keyd.

Com equipes que disputam League of Legends, Headstone e Clash Royale, a meta no próximo ano é contratar novos jogadores profissionais para competir em mais dois games, ainda não divulgados. “Para 2019, nosso foco é ser o maior time da América Latina”, afirma Caique Henriques, diretor executivo do Vivo Keyd.

Ele conta que a relação com a marca começou em 2016, a princípio na forma de patrocínio do produto Vivo Fibra. No início, segundo Caique, era um contrato semelhante ao de times de qualquer outra modalidade esportiva, com presença de marca em uniformes e veiculação de publicidade nas transmissões de disputas.

Só que, no universo de eSports, presença de marca de modo muito comercial soa distante e não conversa verdadeiramente com o torcedor, tão ávido por engajamento e aberto às trocas. “O público não gostava muito de como era a comunicação.”

Tudo mudou este ano, quando a marca decidiu investir para valer como parceira, assumindo o nome do time, rebatizado como Vivo Keyd. “Porque a Vivo entrou de cabeça aberta no negócio, entendeu como fazer diferente, e hoje a comunicação deles é muito integrada no que a gente faz, em vez de trazer algo pronto e encaixar no time.”

Isso é possível porque também evoluiu a relação. “Eles são parceiros. Eles participam, dão ideias, aceitam ideias, como por exemplo enviar algum atleta para o exterior se a gente mostrar que é importante”, afirma o diretor executivo do time.

A parceria abriu ainda a possibilidade para a marca ampliar o portfólio de produtos divulgados. Deixou de ser um patrocínio único de Vivo Fibra (uma marca endêmica) para uma parceria que cria oportunidades para os demais produtos da Vivo Telecom (com marcas não-endêmicas, como linhas telefônicas, assinaturas de TV e planos de celular).

A semente da mudança, segundo Caique, nasceu com a experiência da websérie “Game Changers”. O branded content documental mostrou o mundo dos games no Brasil, ainda com a comunicação de Vivo Fibra.

Hoje, por exemplo, já é possível criar conteúdos específicos para produtos com o casting do time na linguagem de eSports, de forma naturalizada. Para a campanha do Vivo Easy (plano de celular controlado por aplicativo), o Vivo Keyd criou uma comunicação que exemplifica seu funcionamento, como num jogo.

Além disso, há todas as demais possibilidades de comunicação em 360º. Os jogadores vão a eventos, como o Gamecon realizado em Brasília, onde participaram de atividades no palco e de meet&greet com o público. Outras ações são os show matchs, abertos ao público, que divertem e atraem os fãs ao vivo.