5 marcas não-endêmicas que viraram protagonistas dos eSports no Brasil

Reprodução/Vídeo 5 marcas não-endêmicas que viraram protagonistas dos eSports no Brasil Gillette abraçou o cenário de eSports e se tornou a patrocinadora oficial do CBLoL

Elas não fazem parte do universo gamer, mas estão ganhando status de protagonistas. À medida que o cenário de eSports aumenta sua relevância no Brasil, as marcas não-endêmicas (não ligadas ao tema dos games) estão cada vez mais ocupando pódios e ditando os rumos das competições de jogos eletrônicos.

Seja patrocinando times, campeonatos, criando disputas próprias, trabalhando com influenciadores, produzindo conteúdo direcionado, empresas de fora do circuito gamer encontraram nos jogos eletrônicos competitivos território para criar suas narrativas, gerar experiências e estreitar seus laços com o público.

Veja 5 marcas não-endêmicas nos eSports:

1. Gillette patrocina o principal campeonato de LoL

A Gillette abraçou de vez os eSports no Brasil. No ano passado se tornou a primeira marca patrocinadora oficial do CBLoL (Campeonato Brasileiro de League of Legends), maior competição do jogo do país. Primeiro, a Gillette testou o cenário: realizou a Batalha de Precisão, uma disputa entre influenciadores digitais, lançou o reality show Gillette ULT (UltimateLegends Training), e criou o espaço Gillette Arena, rico em experiências, em São Paulo.

2. RedBull tem torneio internacional com finais em São Paulo

O Red Bull Player One já é tradição para os fãs de League of Legends (LoL). O torneio internacional da RedBull, que coroa o melhor jogador e não um time, chegou à sua quinta edição em 2018. Com finais realizadas ao vivo em São Paulo, a competição é conhecida pelo alto nível de competitividade. No ano passado, contou com participantes de 15 países.

3. Netshoes mantém time próprio de FIFA

Após patrocinar a eSportFlix, equipe de jogadores do game FIFA, a Netshoes adquiriu os direitos sobre o nome do time. Com o bom resultado da equipe, que saiu vencedora panamericana de um torneio da EA Sports, e boa exposição da marca, a Netshoes incorporou os eSports em seu planejamento estratégico de marketing.

4. SKY produz conteúdo e evento para mobilizar gamers

A SKY realizou dois movimentos recentes que mobilizaram a comunidade gamer: uma websérie e um evento beneficente. Os minidocs da série “Jogando Sério”, criado pela Ampfy, abordam o momento do eSport no país e a vida dos profissionais dos jogos eletrônicos. Já o SKY Go For Gaming foi o último grande evento de 2018 que reuniu a comunidade gamer. Atletas e influenciadores do cenário disputaram partidas amistosas ao vivo, num ginásio em São Paulo, com o objetivo de angariar fundos para ONGs.

5. Lupo investe em time com perfil desbravador

Em seu primeiro investimento no cenário de eSports, a Lupo se tornou patrocinadora do Team oNe eSports, um dos times brasileiros que mais crescem no país em diversas frentes e jogos. A equipe nasceu Goiânia em 2016. Já em 2017 foi campeã do CBLoL. Seu time de Counter Strike venceu 13 torneios em 2017, e no ano seguinte se internacionalizou em busca de destaques em torneios globais. O grupo tem ainda equipes competitivas nos jogos Rainbow 6 Siege e Fortnite.

5 marcas não-endêmicas que “zeraram” os eSports com ações inovadoras em 2019
eSports: Rainbow Six tem estrelas brasileiras e cenário competitivo agitado
On e-Stadium, complexo de eSports em São Paulo, nasce com apoio de marcas
Games: homens e mulheres jogam por influência de amigos, especialistas e publicidade
DJ Alok, MC Jottapê e Mano Brown: cultura brasileira se insere nos eSports
Fanta cria mapa no Fortnite. Aprenda com a marca a jogar nos eSports 
×

Ei, psiu! Não vá embora ainda. Confira esta novidade do UOL AD_LAB:

E-book sobre como o uso de dados potencializa os resultados de campanhas publicitárias e ações de marketing

Faça download aqui