_Branding

Credibilidade retém o avanço dos adblocks

André Vinicius, diretor executivo de publicidade

Por André Vinicius, diretor executivo de publicidade

Um fato que temos de encarar: o adblocking cresce exponencialmente. Pesquisas mostram que, nos últimos cinco anos, o uso de ferramentas de bloqueio de publicidade na internet aumentou 10 vezes. Os prejuízos mundiais devem chegar aos US $ 41,4 bilhões, este ano. No Brasil, as perdas podem alcançar R$ 2,2 bilhões. 

Esses números da PageFair e Reuters Institute são preocupantes para o mercado. Têm impacto direto no negócio dos publishers. E, por esse motivo, fui chamado para expor as soluções que o UOL encontrou para o problema no fórum Aba Mídia, da Associação Brasileira de Anunciantes, realizado em setembro.

Para vencer esse desafio, entendemos que o caminho passa por compreender o público. Então, fomos atrás de saber por que os brasileiros não querem ver os anúncios. Pesquisas externas e sondagens próprias mostram algo que a gente já sabia: a audiência não gosta quando se sente obrigada a ver uma propaganda. A falta de controle sobre o que é exibido e os formatos forçados incomodam. O pré-roll dos vídeos, por mais que dure só cinco segundos, são chatos.

Ao reconhecermos isso, decidimos nos posicionar desde maio deste ano. Declaramos ao público que não nos opomos ao adblocking e, portanto, não deixamos de oferecer nenhum tipo de conteúdo a quem use um bloqueador de anúncio. Mas também explicamos o quanto a publicidade é importante para o nosso negócio, e convidamos o usuário a desativar a ferramenta, ensinando como fazer.

É um posicionamento institucional. Tem a ver com os valores do UOL e o nosso zelo pela liberdade de expressão. Nós vemos a adoção de um adblocker como expressão do usuário. Consideramos que, se tomou a iniciativa, ele tem esse direito.

Respeitar o público e manifestar nossa postura geraram resultados positivos em pouco tempo. De maio a agosto, a redução do adblocking no UOL foi muito grande. Ao todo, 73% das pessoas que usam adblockers e navegam pelo UOL nos colocaram nas suas white lists. Com isso, enquanto em toda a internet 21% bloqueiam anúncios, no UOL, são apenas 4%.

Entendemos que esse resultado é um reflexo da qualidade do nosso conteúdo e da relevância que temos para o público. Somos um conteúdo que o usuário percebe como importante no seu dia a dia, e por isso quer contribuir com a nossa sustentabilidade. E nós, por respeitarmos a audiência, buscamos constantemente melhorar a experiência de conteúdo e de publicidade, encontrando soluções de formatos mais impactantes, mais eficientes e menos intrusivos.


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Julianne Rodrigues
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo