_Insights

Mercado da cerveja: consumidor digital é fiel a marcas e bebe mais em casa

Imagem: Divulgação

Michelob Ultra, lançamento da Ambev no Brasil: 70% preferem comprar cervejas melhores

O consumidor digital de cervejas é fiel às marcas e compra principalmente para beber em casa e em eventos particulares, segundo constata a pesquisa “Cervejas: comportamento do consumidor, relacionamento e experiências”, da Opinion Box lançada em setembro. Foram ouvidos 2.062 internautas de todos os estados brasileiros.

Num recorte de entrevistados que fizeram algum pedido em apps de entregas e conveniência nos últimos 12 meses, 72% dos respondentes disseram que têm consumido mais cerveja dentro de casa do que em locais externos. Apenas 23% declararam que consomem semanalmente cerveja em bares, restaurantes e eventos.

Mesmo para o consumo na residência, o hábito de tomar cerveja é gregário para a maioria dos respondentes: 51% disseram que cerveja só tem graça bebendo em companhia. E para 66% uma cerveja faz um momento ficar mais especial.

As compras para consumo em casa, casa de amigos e eventos particulares são frequentes. Para 61% o hábito se repete ao menos uma vez a cada 15 dias, sendo que para 44% a frequência é de pelo menos uma vez por semana. O pedido médio para 48% dos respondentes custa menos de R$ 50. Para 35%, fica entre R$ 51 e R$ 100.

No ranking de principais fatores que influenciam a compra, o preço lidera (70%), seguido de sabor (56%), marca preferida (52%), promoção (51%), e temperatura/conveniência de estar gelada (15%). Relevante observar a importância da marca para a decisão da maioria. O dado se reforça: 54% declararam que são fiéis às marcas de cerveja, 50% têm receio de beber cervejas de marcas que não conhecem e apenas 23% tomam qualquer cerveja.

Hábito consolidado na pandemia

Mais de um terço dos respondentes (35%) afirma que passou a consumir mais a bebida desde o início da pandemia. É mais um dado que explica o impulso do mercado da cerveja no varejo digital. De acordo com o relatório “Tendências e Comportamentos Digitais 2021”, da Comscore, das 126,5 milhões de pessoas conectadas na internet no Brasil, 63% consomem bebida alcoólica e 52% consomem cerveja.

Os players digitais respondem. Em movimento recente, a Amazon, por exemplo, lançou a Loja da Cerveja, seção dedicada à bebida dentro de sua plataforma, como forma de se posicionar no segmento. No ranking de e-commerces mais relevantes no ramo, segundo a Comscore, aparece Mercado Livre em primeiro lugar, seguido de B2W (Americanas/Submarino), Amazon, Magalu e CNova (Extra/Ponto Frio).

Ainda segundo a pesquisa da Opinion Box, a maioria dos respondentes valoriza mais a qualidade do que a quantidade consumida: 70% preferem comprar cervejas melhores e beber menos.

Diante desse cenário, novos rótulos chegam ao mercado, buscando públicos atentos aos atributos dos produtos, a exemplo da cerveja Tiger, do Grupo Heineken, que conversa com o estilo de vida street, e da Michelob Ultra, da Ambev, dedicada ao público fitness e aos amantes de esportes — ambas com projetos de conteúdo veiculados no UOL.


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Pedro Crastechini
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo