_Insights

Dia do Consumidor: intenção de compra cresce com alimentos no topo do desejo

Imagem: UOL AD_LAB

O Dia do Consumidor, comemorado mundialmente no dia 15 de março, vem cada vez mais se consolidando no calendário do varejo brasileiro. Pelo terceiro ano consecutivo, a “Pesquisa Dia do Consumidor 2021”, realizada pelo UOL AD_LAB em parceria com a MindMiners, mostra alta significativa na intenção de compra na data promocional.

Este ano, 49% dos respondentes (67% entre a audiência do UOL) declararam que pretendem consumir durante o período de ofertas. O número representa crescimento de 10 pontos percentuais em relação a 2020, quando a intenção geral de compra foi de 39% (48% no UOL). Olhando apenas a audiência do UOL, o avanço foi de 19 pontos percentuais. Essa alta vem se acelerando desde 2019, quando a propensão a comprar na data era de 26% (33% no UOL).

A sondagem foi realizada nos dias 11 e 12 de fevereiro. Participaram 500 pessoas em todas as regiões do país, com maior representatividade do Sudeste (47%), e foco nas classes B (40%) e C (45%), por meio de questionário online. Tiveram maior peso as faixas etárias de 31 a 40 anos (26%) e acima de 41 anos (37%). Por gênero, a divisão foi de 52% mulheres e 48% homens.

Alimentos e moda lideram

Um dado relevante este ano é que as categorias mais desejadas no Dia do Consumidor mudaram de posição. Alimentos e bebidas aparece no topo para 42% dos respondentes, seguido por Moda e Acessórios (36%) e Telefonia e Celular (32%). No ano passado, o quadro era bastante diferente, com Telefonia e Celular (50,5%) liderando o ranking, seguida de Eletrodomésticos (49,5%) e Moda e Acessórios (47%).

O desejo maior por aproveitar ofertas de alimentos na data pode ser explicado pelas transformações nos hábitos de compra ao longo de 2020, quando o varejo alimentício deu um salto durante a pandemia. Além disso, por conta do contexto econômico, o brasileiro ainda segue em contenção de gastos, evitando comprar produtos mais caros, como bens duráveis. Com isso, os bens de consumo, de menor preço, como alimentos e vestuário, saem em vantagem.

Essa tendência se reflete no tíquete médio. Este ano, a maioria dos respondentes (54%) que pretendem comprar na data deve gastar até R$ 400. No ano passado, a maioria (51%) pretendia gastar até R$ 600.

A transformação na intenção de compra para bens de consumo verificada este ano, no entanto, pode ajudar o varejo a encontrar um perfil mais característico para as ações do Dia do Consumidor. E, com isso, produzir narrativas que se diferenciem da Black Friday, muito associada a bens duráveis, para se fixar cada vez mais na lembrança do brasileiro.

Compras mais digitais

Entre os entrevistados, 82% costumam fazer compras pela internet (89% no UOL). Se observados apenas os que declararam intenção de compra no Dia do Consumidor, o número sobe para 94%. As pessoas também estão comprando mais online. Em relação ao ano passado, 48% disseram ter aumentado a frequência de compra por e-commerce.

Os meios usados para a compra no Dia do Consumidor, segundo os respondentes, devem ser internet e loja física (para 47%), apenas internet (para 35%) e apenas loja física (para 22%). Esses dados apontam para estratégias omnichannel, integrando ações on e off, como ideais para a data, segundo recomendações da pesquisa.


Quem faz os conteúdos UOL para Marcas:

Apuração e redação: Renata Gama / Edição e redes sociais: Raphaella Francisco / Arte: Pedro Crastechini
Gerente responsável: Marina Assis/ Gerente Geral: Karen Cunsolo