_Insights

Cozinhar na pandemia impacta compras digitais nos mercados e no conteúdo de culinária

Imagem: Gary Barnes/Pexels

Fazer comida em casa foi um dos hábitos reforçados na pandemia. Após um ano de covid-19, o impacto desse comportamento está consolidado tanto no consumo de conteúdos sobre o tema culinária quanto no volume de compras feitas em supermercados pelo meio digital. Essa percepção consta na pesquisa Supermercados e Hábitos de Compras realizada pelo UOL, em parceria com a MindMiners, que traça um perfil extenso desse consumidor.

De acordo com o levantamento, metade dos respondentes (49%) já fez compra de mercado pela internet (56% entre a audiência do UOL). Destes, 33% realizam compras ao menos a cada 15 dias. Entre os motivos estão: a praticidade (para 37%), evitar sair de casa por conta da pandemia (32%) e promoções exclusivas online (29%).

Os que ainda não fazem a compra de mercado pela internet alegam que gostam da experiência de ir a um supermercado fisicamente (42%), têm medo da qualidade dos produtos frescos (31%) e consideram os preços mais altos pela internet (20%).

A pesquisa foi realizada de 17 a 19 de março, por meio de questionário online, focada nesse perfil de consumo. Participaram 500 pessoas responsáveis pelas compras de supermercado de sua casa, com idade acima de 25 anos, de todas as classes e regiões do Brasil.

As pessoas não apenas estão aderindo às compras de mercado na internet como também aumentando seu consumo. Houve alta nos gastos em compras de mercado pela internet para 57% dos respondentes, durante a pandemia (63% no UOL). Para 35%, o valor gasto se manteve e, para outros 8%, diminuiu. Fazer a compra do mercado online é um costume que deve se manter mesmo no pós-pandemia para 59% (64% no UOL).

Cozinhar em casa

O consumo maior de compras nos supermercados é um reflexo de um reforço de hábito importante durante a pandemia: cozinhar em casa. Entre todos os respondentes, a maioria (54%) diz estar tentando se aventurar e se arriscar mais na cozinha desde o início da pandemia.

Por gosto ou necessidade, a maioria dos respondentes (68%) prepara suas refeições em casa e raramente compra comida pronta, seja congelada ou por delivery (entre a audiência UOL, essa fatia é de 60%). Outra parcela (28%) costuma equilibrar entre refeições feitas em casa e comidas prontas (36% no UOL). E 3% raramente cozinha em casa, comprando comida pronta na maioria das vezes (3% no UOL).

E a internet é o principal meio para obter informações e dicas de alimentação, gastronomia e receitas (para 48%). Sites de gastronomia são os preferidos para pegar dicas de receitas e saber quais produtos comprar, para 26% dos participantes da pesquisa.

Um dado interessante é a força do marketing de influência para esse público: 40% têm o hábito de acompanhar/seguir influenciadores e nomes ligados a gastronomia/alimentação nas redes sociais e em outros meios (48% no UOL).

Para mais informações e pedidos de envio da íntegra do report, entre em contato pelo e-mail publicidade@uol.com.br.