Gustavo Viana: experiências digitais da Nike exercitam corpo e mente na pandemia

Divulgação Gustavo Viana: experiências digitais da Nike exercitam corpo e mente na pandemia

Da janela de casa, com um celular, sem baixar nenhum aplicativo, as pessoas acessam um link, apontam para as nuvens e “destravam” uma série de experiências digitais da Nike. A plataforma cultural Nuvem Air Max, que traz conteúdos exclusivos de artistas brasileiros, como o rapper Djonga e MC Soffia, usa a realidade aumentada para oferecer conteúdos interativos de entretenimento durante a pandemia.

“Além de criar um novo cenário para as pessoas, dentro das suas casas, a tecnologia de realidade aumentada foi a forma mais interessante de materializarmos essa nuvem e gerarmos uma nova experiência no celular e na mão dos consumidores. Isso sem que precisem baixar um aplicativo ou que consumam grande quantidade de dados”, afirma Gustavo Viana, diretor de marketing da Nike do Brasil.

Reconhecidamente, as campanhas de Nike são expert em unir duas coisas: esporte e tecnologia. Só para refrescar a memória, vide a longa história que a marca escreve com seus aplicativos de corrida e a campanha vencedora de um GP em Cannes, “Air Max Graffiti Stores”, que transformou muros grafitados de São Paulo em lojas, com realidade aumentada. Não à toa, Nike lidera índices de maturidade digital.

Agora, no contexto da pandemia, a marca usa os meios digitais para entrar em um novo território: a mente. “Nossa estratégia foi continuar oferecendo todo o nosso ecossistema digital – com o Nike Training Club app e Nike.com – para que os consumidores se mantenham ativos fisicamente. E, com o novo projeto da Nuvem Air Max, queremos também despertar a criatividade e inspirar as pessoas a trabalharem suas mentes, algo que enxergamos como fundamental nesse momento.”

Criar uma nova experiência digital focada nos modelos Air Max já estava nos planos da marca para este ano. O que mudou com o contexto da covid-19 foi a abordagem. “Todo ano comemoramos o aniversário do Air Max, família de tênis que traz em seu conceito inovação, criatividade e inspiração. Para este ano, entendendo o cenário que vivemos, traçamos uma estratégia diferente, com o objetivo de incentivar pessoas a exercitarem corpo e mente, em suas casas.”

Como exercício para a mente, a Nike se refere a momentos de descontração, lazer, com referências que fazem as pessoas pensarem diferente, abrindo horizontes culturais. “É uma experiência e conteúdos inspiradores e exclusivos de artistas que estão mudando o mundo da música e da dança.”

Isso não tira em nenhum momento a atenção da Nike para o esporte, diz Gustavo. “Muita coisa foi revista neste momento, mas como empresa, o que não mudou foi nosso comprometimento com o esporte. Continuamos com o nosso objetivo de fazer do esporte um hábito diário para as pessoas.”

Tecnologia de dentro para fora

Segundo Gustavo, a Nike é uma entusiasta da tecnologia de dentro para fora, algo que se acentuou durante a pandemia. “Tivemos, claro, desafios por conta da situação inédita que estamos vivendo, mas estamos nos adaptando bem, utilizado a tecnologia ao nosso favor para fazer reuniões online, e repensando nossas ideias. Estamos sempre buscando nos reinventar e o isolamento social nos faz trabalhar nisso todos os dias.”

Além disso, o executivo diz que a tecnologia permeia cada vez mais a relação com parceiros. “Nossa equipe vem aprendendo a trabalhar de forma virtual com nossas agências parceiras também. Por estarmos impossibilitados de produzir novos conteúdos da maneira que estávamos acostumados, acabamos tendo que ser mais criativos ainda.”

Minibio

Com formação em administração e marketing, e especialização na Universidade da Califórnia, Gustavo Viana iniciou sua carreira na AmBev, passou por Deloitte como trainee na área de auditoria. Atuou no mercado financeiro na TMG Capital, migrou definitivamente para o marketing na Danaher, em Washington (EUA). Entrou para a Nike em 2013. É diretor de marketing desde 2018.

Bruno Honório, da Mutato: marcas são passíveis do ‘cancelamento’ e devem se preparar 
3 ações que conectam profissionais de publicidade a vagas na pandemia
Celso Athayde, da CUFA: Digital Favela cria conexão genuína onde discurso aspiracional não funciona
Pós-pandemia: distanciamento deve permanecer como valor de consumo, diz Kantar 
Paulo Aguiar, do next: marca fez ‘jornada de escuta’ em ação para público LGBT 
Inaiara Florêncio, da Avellar: ‘voice first’ é sobre captar narrativas de múltiplas vozes 
×

Ei, psiu! Não vá embora ainda. Confira esta novidade do UOL AD_LAB:

E-book sobre como o uso de dados potencializa os resultados de campanhas publicitárias e ações de marketing

Faça download aqui