Público sênior chega com poder de consumo no digital, mas segue ‘invisível’ por marcas

AdobeStock Público sênior chega com poder de consumo no digital, mas segue ‘invisível’ por marcas

O público sênior cresce ano após ano, está cada dia mais mergulhado e consumindo no digital, mas parece ainda ser invisível para marcas. Isso é o que mostram estudos recentes de organizações oficiais, empresas de tecnologia e consultorias de marketing no Brasil e no mundo.

O relatório “The World Population Prospects 2019”, da Organização das Nações Unidas (ONU) projeta que até 2050 a população mundial com mais de 65 anos será de 17%. Em 2019, era de 9%. No Brasil, o envelhecimento segue mais acelerado. A projeção do Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas) é de que a fatia de pessoas com mais de 65 anos no Brasil passará de 9,5%, em 2019, para 25,5% até 2060.

Enquanto cresce, a população madura se digitaliza. Na faixa de 60 anos ou mais, 34% dos brasileiros acessam a internet, 91% pelo celular, 49% por computador ou notebook e 10% pelos tablets. Os dados são da pesquisa do TIC Domicílios, do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.Br), de 2019.

Os mais maduros também estão comprando mais pela internet. De acordo com o Google Survey Black Friday de 2018, os consumidores acima dos 55 anos compraram 1,4 vezes mais do que a faixa entre 18 e 54 anos, durante a data promocional. Trata-se de um público consumidor importante. No Brasil, segundo dados do Pnad-IBGE, os maiores de 60 anos movimentam R$ 1,8 trilhão por ano.

Em pesquisa da MindMiners em parceria com a consultoria hiper 60+, 85% disseram realizar compras tanto pela internet quanto em lojas físicas, sendo que apenas 14% compram exclusivamente em lojas físicas. O estudo ouviu 863 respondentes de todas as regiões do Brasil, com um recorte de renda mais voltado à classe média: 60% recebem de R$ 2.706 a R$ 20.888. A maior faixa (26%) ganha de R$4.853,00 a R$ 9.254,00.

O meio de informação prioritário entre eles já é o digital: 85% dos respondentes disseram se manter informados por sites de notícia e 83% pelas redes sociais. Os meios offline aparecem com menor relevância: TV por assinatura (68%), TV aberta (59%), rádio (42%) e jornal (26%).

Invisibilidade para marcas

No entanto, as marcas de forma geral parecem ainda não terem estabelecido estratégias consistentes para alcançar o público sênior. Na mesma pesquisa, 57% dos respondentes disseram que faltam produtos e serviços voltados para a sua idade. Eles querem cursos (55%), roupas e acessórios (47%), alimentos especiais (42%), serviços de turismo (37%).

Já no estudo “Grey Power – O Mercado que Mais Cresce no Brasil”, do Instituto Locomotiva em parceria com a Sony Pictures, 77% dos entrevistados disseram não se ver representados nos comerciais de TV, e 87% declararam que gostariam de ser mais ouvidos pelas marcas e empresas.

 

Dia do Consumidor: pesquisa mostra aumento de relevância da data para o público
Mercados de streaming e áudio digital evoluem em 2020, mas devem se remodelar, diz Kantar
Gabriel Bernardi, da Jüssi: experiência de marca é a métrica do futuro para a mídia
Repleto de estrelas, CarnaUOL coloca São Paulo no clima da folia. E marcas sambam junto
Murilo Garavello, do UOL: Marcas querem estar ao lado de conteúdo com personalidade
Influência não é audiência: 3 perguntas essenciais para trabalhar com creators
×

Ei, psiu! Não vá embora ainda. Confira esta novidade do UOL AD_LAB:

E-book sobre como o uso de dados potencializa os resultados de campanhas publicitárias e ações de marketing

Faça download aqui