UOL é principal veículo online para 47% dos brasileiros, diz Reuters

Shutterstock UOL é principal veículo online para 47% dos brasileiros, diz Reuters

O UOL é o principal veículo de notícias confiáveis nas plataformas digitais do país. Segundo o Relatório de Notícias Digitais da Reuters 2017, a marca foi a mais citada como principal fonte de informações na internet para 47% das pessoas consultadas pela pesquisa no Brasil. Elas dizem que preferem o UOL por oferecer diversão/entretenimento (36%), divulgar notícias precisas e confiáveis (23%), transmitir assuntos complexos de forma inteligível (22%) e expressar fortes pontos de vista (20%).

Esta é a sexta edição do levantamento da Reuters, realizado pela Reuters Institute for the Study of Journalism da Universidade de Oxford (Inglaterra). Este ano, foram consultadas 70 mil pessoas em 36 países. Em três países (Brasil, Turquia e México), a pesquisa se restringiu às regiões urbanas. No Brasil, foram 2.003 respondentes.

O resultado do relatório só reforça a tradição de credibilidade do conteúdo produzido pelo UOL. Em maio, o UOL registrou um dos maiores picos de audiência da sua história de 21 anos, no dia em que o presidente Michel Temer se pronunciou pela primeira vez sobre as gravações de Joesley Batista.

Smartphones superam desktops

Dados importantes sobre o mercado digital e de mídia no Brasil também aparecem no levantamento. Pela primeira vez, os smartphones superaram os computadores como dispositivo mais usado para ler notícias (65% das respostas contra 62%). E os tablets (16%) ficaram em terceiro lugar. Em mercados mais desenvolvidos, o uso dos celulares como principal dispositivo para a ler notícias já está incorporado ao hábito da população. Nos Estados Unidos, por exemplo, o uso do smartphone como leitor de notícias se estabeleceu, ao passo em que menos gente depende de desktop ou laptop para leitura.

A pesquisa aponta que, embora a penetração da internet no Brasil (com 68% de abrangência), ainda não alcance a da TV (que chega a 97% das famílias brasileiras), as plataformas online já são a principal fonte de informação para pessoas em áreas urbanas, especialmente entre as com maior renda e níveis de educação.

Com isso, o investimento em publicidade online no Brasil subiu 26% em relação a 2015, puxado por uma alta significativa de anúncios em vídeos (115%), destaca o relatório da Reuters, com dados da IAB e comScore.

País é terreno fértil para fake news

O Brasil é o segundo país com maior o índice de confiança dos leitores nas notícias online. De acordo com o levantamento, 60% dos brasileiros disseram que acreditam no conteúdo divulgado na internet, enquanto os coreanos (23%), gregos (23%) e franceses (30%) estão entre os mais desconfiados. A alta confiança mostra que o Brasil é um terreno fértil para a proliferação de fake news, especialmente com o alto engajamento dos brasileiros nas redes sociais. Mas o relatório ressalta também que veículos de mídia do país estão atentos ao debate internacional sobre o problema, e criaram equipes de fact-checking para apurar boatos, como é o caso do UOL Confere.

O relatório destaca que as redes sociais são extremamente populares no país, com o Facebook alcançando 80% dos internautas. Mas elas perderam importância no compartilhamento de notícias depois que portais noticiosos passaram a cobrar pelo acesso. Já muito popular entre os brasileiros, o WhatsApp aumentou sua relevância no compartilhamento de notícias depois que as operadoras passaram a oferecer pacotes de mensagens ilimitadas, bombando o uso da ferramenta.

Conteúdos de referência podem nascer de necessidades de negócio
UOL beneficia 30 milhões de leitores com conteúdo otimizado para smartphones
Com Luciana Fortuna, CNA reconstrói marca e aposta em parceiros digitais
Torcedores.com, CyberCook e VilaMulher entram para rede premium do UOL
Dados ajudam a aumentar a representatividade na propaganda
Cinco formas de investir em digital sem desperdiçar a verba de mídia
×

Ei, psiu! Não vá embora ainda. Confira esta novidade do UOL AD_LAB:

capa e-book 2

E-book sobre como o uso de dados potencializa os resultados de campanhas publicitárias e ações de marketing

Faça download aqui