Whitelist é solução para manter o brand safety e transparência em campanhas de programática

Whitelist é solução para manter o brand safety e transparência em campanhas de programática

O crescente investimento em programática nos últimos anos traz grandes resultados para campanhas, mas também revela o lado escuro da internet: conteúdo tóxico, extremistas ou com discurso de ódio e notícias falsas. Já se sabe que algumas marcas sofreram com isso, até mesmo no YouTube. Por isso, muitos anunciantes já estão antenados na importância da whitelist. Como foi o caso do banco multinacional americano JP Morgan Chase, que deixou de anunciar em 400 mil sites para anunciar em apenas 5 mil; mantendo os mesmos resultados e garantindo o brand safety, transparência, inventário verdadeiro e evitando conteúdo fraudulento e odioso.

O UOL AD_LAB recomenda a leitura da matéria do AdExchanger “New York Times Pitches Programmatic As Advertisers Clamor For Brand Safety” que mostra como um grande publisher como o NY Times, alia conteúdo de qualidade com a tecnologia programática.

Como melhorar a performance do seu native advertising
Joice Rossi segue o Toyotismo com estilo na comunicação da marca
Indicado ao Caboré, André Vinícius trouxe inovação aos produtos de mídia do UOL
Marketing de experiência é a nova cartada. E marcas estão investindo mais
Modelos de atribuição identificam canais mais efetivos em cada campanha
Zeca Vieira: Produtos digitais da SulAmérica melhoram relação com clientes
×

Ei, psiu! Não vá embora ainda. Confira esta novidade do UOL AD_LAB:

capa e-book 2

E-book sobre como o uso de dados potencializa os resultados de campanhas publicitárias e ações de marketing

Faça download aqui