Whitelist é solução para manter o brand safety e transparência em campanhas de programática

Whitelist é solução para manter o brand safety e transparência em campanhas de programática

O crescente investimento em programática nos últimos anos traz grandes resultados para campanhas, mas também revela o lado escuro da internet: conteúdo tóxico, extremistas ou com discurso de ódio e notícias falsas. Já se sabe que algumas marcas sofreram com isso, até mesmo no YouTube. Por isso, muitos anunciantes já estão antenados na importância da whitelist. Como foi o caso do banco multinacional americano JP Morgan Chase, que deixou de anunciar em 400 mil sites para anunciar em apenas 5 mil; mantendo os mesmos resultados e garantindo o brand safety, transparência, inventário verdadeiro e evitando conteúdo fraudulento e odioso.

O UOL AD_LAB recomenda a leitura da matéria do AdExchanger “New York Times Pitches Programmatic As Advertisers Clamor For Brand Safety” que mostra como um grande publisher como o NY Times, alia conteúdo de qualidade com a tecnologia programática.

Conheça 14 momentos ideais para impactar seu público no UOL
Andréa Mello mira nas paixões do brasileiro em ações da Samsung
Três erros da publicidade ao usar discurso do empoderamento feminino
Ser diversa e não jurássica é lema da agência Mutato
Nova tecnologia simplifica o trabalho da agência e otimiza a criação de formatos display no UOL
Com Ana Paula Castello Branco, TIM volta ao topo de ranking de marcas
×

Ei, psiu! Não vá embora ainda. Confira esta novidade do UOL AD_LAB:

capa e-book 2

E-book sobre como o uso de dados potencializa os resultados de campanhas publicitárias e ações de marketing

Faça download aqui