Companheiro da audiência, vídeo vira queridinho da publicidade online

Companheiro da audiência, vídeo vira queridinho da publicidade online

Se a TV já é quase uma integrante da família do brasileiro, que desde pequeno convive com a telinha, o seu descendente — o vídeo digital — é o companheiro para todas as horas. Isso porque ele está cada vez mais presente na vida do público onde quer que vá.

Após a popularização da banda larga, o formato explodiu no país. Pesquisa da comScore mostrou que a audiência do vídeo digital no Brasil já alcançava 58 milhões de pessoas em 2015. Na América Latina, o hábito de assistir a vídeos longe do sofá já é uma realidade: 36% veem também fora de casa, e 14% enquanto se deslocam.

E o número de horas online assistindo a vídeos em dispositivos como celular, tablet, smartTVs e computador já é maior que o tempo gasto na frente da TV convencional: 13,2 horas contra 5,4 horas.

A tendência é os vídeos online ampliarem ainda mais sua audiência à medida que a popularidade dos dispositivos e da banda larga aumentam sua presença no país. E esse é um dos motivos por que o formato tem se mostrado um poderoso aliado nas campanhas de publicidade online.

No UOL, o vídeo é o formato que mais cresce em demanda por anúncios: em apenas um ano, de agosto de 2015 a agosto de 2016, houve uma alta de 300% na procura de anunciantes. Em média, o site conta com 800 milhões de views de vídeos por mês. A projeção é alcançar a marca de 1 bilhão de views ao mês já em 2017.

Vídeo premium é preferido da audiência

Segundo a comScore, apesar da proliferação de conteúdos produzidos por usuários amadores, o vídeo premium é o mais assistido na América Latina. Isso explica por que a efetividade no conteúdo profissional é três vezes maior que a média, segundo a Nielsen.

No UOL, 83% da audiência consome publicidade em vídeo. Em média, o público do portal assiste a mais de 60% dos vídeos. Mais de 67% dos usuários ativam o som. Além disso, conforme a campanha, é alto o índice de interação por clique e compartilhamento.

Um case interessante foi o da Hyundai. Com 1 minuto de duração, o video ad conseguiu prender a audiência por 30s em média, alcançando 50% de rage. Esse engajamento fez o brand lift ser três vezes maior que a média do mercado.

UOL AD_LAB ajuda a encontrar o melhor formato

Com o aumento do interesse dos anunciantes por vídeos, uma alternativa à veiculação de campanhas uniformizadas é aproveitar a expertise e linguagem própria de cada publisher na produção de conteúdo adequado aos interesses da audiência.

O UOL AD_LAB, por exemplo, cria soluções personalizadas que permitem a integração das marcas aos vídeos sem perder a relevância editorial. É possível criar formatos exclusivos para coberturas de entretenimento ou esportes, vinhetas personalizadas para apresentar conteúdos de gastronomia, product placement nos tutoriais de moda ou maquiagem, entre outras oportunidades.

E, quando a marca necessita de maior controle do conteúdo e da distribuição, o branded content encontra o caminho do meio entre a produção publicitária e a jornalística.

Para gerar ainda mais a visibilidade e despertar a atenção, novos placements têm sido criados, como o in-article. O vídeo é carregado junto com o conteúdo da página ao longo do scroll. O som é acionado se houver interação por mouse-over. O carregamento, no entanto, não compromete a experiência do usuário, pois não impede a leitura.

O branded content mudou de fase: conheça a receita do New York Times
Ambiente premium ajuda mídia programática a explorar todo seu potencial
Marcas têm chance de pegar carona na repercussão do CarnaUOL na mídia
Mídia programática: você está comprando isso errado!
Quatro tendências para inspirar inovações nas campanhas digitais em 2017
Três motivos para concentrar o funil de vendas em um publisher
×

Ei, psiu! Não vá embora ainda. Confira esta novidade do UOL AD_LAB:

Baixe agora o primeiro e-book do UOL AD_LAB e descubra como a escolha de um ambiente premium ajuda a solucionar os desafios da mídia programática

Faça download aqui